Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Blog de AlGo

Por Alexandra Gomes

Blog de AlGo

Por Alexandra Gomes

15
Mar19

Quem não gosta não vê. Simples?

Não. Nada simples.

 

O maior argumento pró programas de domingo à noite, os que se intitulam, "mais hífen menos cedilha" como "quem quer ser criada para todo o serviço do paspalho" é que só vê quem quer. Ora então, pois claro, mal seria se assim não fosse. Isso quer dizer que temos que estar quedos e calados e nada dizer sobre o assunto?

Pode dar leilões de fêmeas à hora do jantar, que só temos que mudar de canal e continuar a comer a sopa? Tenham paciência pah!

 

Quem quer ver, vê, mas deixem quem se sente envergonhado por aquelas mulheres se prestarem aquele (des)serviço reclamar à vontade. 

 

Aquelas senhoras não estão ali porque é opção de vida delas servir um marido, ser fadas do lar... o que o for, que é válido, concorde eu ou não, estão ali porque querem fama, não se importando de passar uma imagem que cola a todas as mulheres e serve os propósitos de quem ainda se serve da objetivação da Mulher para perpetuar todas as injustiças e crimes de que ainda somos alvo.

 

Pois claro que eu vou ver outra coisa que não aquilo, mas elas continuam lá, a (não) mostrar ao mundo e às gerações vindouras como se é mulher a valer.

13
Mar19

Tudo por uns míseros momentos de fama

As moças que estão nos programas de domingo à noite da SIC e da TVI sujeitam-se a serem tratadas como mercadoria porque querem.

Estão ali, expostas que nem gado para abate, de livre e espontânea vontade e isso é deveras triste.

 

Se estivessem ali forçadas, poderíamos organizar um resgate, fazer uma marcha silenciosa de apoio... sei lá, revoltarmo-nos com a situação e fazer qualquer coisa, assim, só podemos fazer uso do comando da televisão para a desligar e lamentar que muitas mulheres estejam na merda porque há várias que adoram chafurdar.

 

O que penso dos canais de televisão que promovem estes formatos, dAs apresentadorAs que assumem o comando dos mesmos, dos participantes em geral e até um bocadinho de quem consome... não posso dizer, que os tribunais já estão ocupados com os processos do Neto de Moura.

 
08
Mar19

Mulheres que hoje vão para a festa

... não temos nada que festejar.
 
Não é dia de festa, é dia de luto e de luta.
 
De luto:
Por todas as mulheres que dizem "não" e não vêm a sua vontade respeitada.
Por todas as mulheres que têm que fugir e esconder para sobreviver.
 
Por todas as mulheres que perderam a vida só porque são mulheres.
 
De luta
Para que todas as mulheres recebam o mesmo que os seus colegas homens.
Para que os agressores de mulheres sejam punidos convenientemente.
 
Para que ser mulher deixe de ser uma condição de inferioridade.
 
De luta
Contra todas as mulheres que dizem: "também, assim vestida estava a pedi-las".
Contra todas as mulheres que dizem: "ele é uma besta para a mulher, mas é bom pai".
 
Contra todas as mulheres que são as piores inimigas delas mesmo.
 
 
Hoje é Dia da Mulher
Não quero flores, quero Justiça.
 
 

 

07
Mar19

Juiz Neto de Moura processa quem o aleijou na dignidade

Se processasse todos os que se indignaram com as suas palavras e o criticaram, o meritíssimo não faria mais nada na vida, uma vez que, estou certa, foi uma larga maioria da população portuguesa. 
 
O "senhor" diz que vai processar todos os que ultrapassarem os limites da liberdade de expressão, até porque o "senhor" não ultrapassou, atropelou-a e fugiu, mas com isso não importa.
 
Não está em causa as suas decisões legais, ou por outra, eu não as ponho em causa, uma vez que não tenho conhecimentos, nem dos casos em concreto nem das leis, para assegurar que as suas decisões estão erradas, está em causa a sua opinião e o facto de a plasmar nos acórdãos de redige.
 
Sempre respeitei um juiz como uma autoridade, uma entidade que poderia e deveria passar uma mensagem de justiça para além do que está em letra de lei. Nunca me chocou que, no fim de uma sentença, um juiz "passasse uma descasca" ao condenado, dando-lhe uma lição de moral. 
 
Citar a Bíblia e o Código Penal de 1886 é que já é despropositado.
 
Revelar toda a sua misoginia desculpando o agressor ou dando justificação para os seus atos devido ao comportamento da mulher é desumano e cruel. Demonstra ódio e desprezo pelas mulheres pelo simples facto de o serem. Revela que este "senhor" acha que uma mulher, para ser digna de justiça, tem que mostrar ter probidade moral. 
 
Uma mulher tem que se portar bem para que nada justifique que lhe seja dada uma sova com uma moca de pregos. Uma mulher tem que ser paciente, porque levar porrada até que o seu tímpano rebente não é assim uma coisa tão grave.
 
Este "senhor" acha que o mundo está perdido, porque um marido agora não pode dar uma lambada na mulher sem ser logo acusado de violência doméstica. Até dizem que o homem que tenta educar a sua esposa é mau, vejam só.
 
 
No limite, há homens que até têm que matar as "badalhocas" das mulheres, porque não aguentam a humilhação que elas lhe causam. O meritíssimo parece compreender isso.
 
 
Tenho medo deste meritíssimo juiz Neto de Moura. 
Todas as mulheres temos medo de que um possível nosso agressor venha a ser desculpado por um meritíssimo só porque não somos santas.
 
Eu não quero ser santa.
Quero ser MULHER e só isso devia bastar para ser respeitada.
 
Processe-me senhor doutor meritíssimo juiz Neto de Moura, porque eu acho que as suas opiniões são uma merda.
 
Melhor!!  Em vez de me processar bata-me... Isso é que era de homem.
 
 
 

 

07
Nov18

Se calhar não sou feminista

Logo eu, tem piada!!

 

Descobri, porque não me faz confusão nenhuma não ver mulheres nesta "foto de família" da Web Summit.

45548046_1892782457503531_7052580331483824128_n.jp

Aliás, tiveram que me explicar, porque eu nem dei por falta delas.

 

Até que me digam que algum daqueles homens (ou outros) impediu que ali estivessem mulheres, não vejo ali qualquer desigualdade de género.

 

O que me irrita solenemente, e até me envergonha enquanto mulher, é o discurso de "coitadinhas de nós gajas, sempre a sermos discriminadas".

 

Com certeza, andam por aí muitas indignadas da foto que:

- Passam a camisa do marido a ferro porque "é a única coisa que ele não faz".

- "Deixam" o marido ir lavar o carro ao sábado à tarde enquanto aspiram a casa, limpam o pó, fazem o jantar...

- Celebram alegremente porque o marido lhes ofereceu um robot de cozinha no aniversário.

 

O feminismo começa em casa amigas, na vossa casa!!

 

Isto para não falar das que acharam, só porque sim, que "a dançar daquela maneira e assim vestida? Foi violada foi!"

 

O feminismo é lutar por direitos iguais, é mostrarmos em todas as áreas da nossa vida, TODAS, que somos iguais no que tem que ser igual (porque há diferenças, e são tão boas). 

 

E é igual, não é superior.

 

Feminismo e comportar-se como um ser de direitos e deveres iguais e não passar o tempo a lamentar porque fazem de nós diferentes. Até porque muitas vezes, na maioria das vezes, acredito eu, são as mulheres as culpadas. 

 

Tenho para mim que não há ali mulheres porque as mães da "geração tecnológica" puseram as meninas a ajudar nas lides domésticas enquanto os meninos jogavam computador e iam lavar o carro com o pai. Davam Legos aos meninos e Barbies às meninas.

Continuem a comprar cozinhas, esfregonas e tábuas de passar a ferro para as meninas brincarem e depois queixem-se que as vossas filhas não têm tantas oportunidades.

 

O feminismo começa em casa amigas, na vossa casa!!

 

 

 

11
Out18

Não estou a falar do Ronaldo

O que eu não posso aceitar calada é que achem que uma mulher tem que aceitar sexo anal só porque "se sujeitou" a ir para a cama com um homem. Porque uma mulher não tem vontade, não sente desejo, não precisa. Uma mulher sujeita-se a ter sexo e, como tal, sujeita a 100, sujeita a mil. Tem que levar com tudo.

 

O que eu não posso aceitar calada é que, para a mesma situação, ter sexo num primeiro encontro, uma mulher seja enxovalhada e um homem seja "só mais um passeio no parque", uma coisa normal.

 

O que me revolta as entranhas são expressões como "ela pensava que ia jogar às cartas?". Como se uma mulher que lhe apetece ter sexo a dada altura não tivesse o direito de deixar de querer entretanto, ou que mesmo querendo, não pudesse escolher o que quer e tivesse que se sujeitar às vontades do macho que, como toda a gente sabe, depois de começar se torna um animal irracional e não consegue parar nem tão pouco refrear os instintos.

 

Arrasa comigo ouvir que "ela estava lá para isso", como se, por exemplo, uma prostituta só porque o é, possa ser violada. Ou uma esposa, que se virmos bem "está lá para isso", tenha que se sujeitar a todas as taras do marido.

 

Ouvir dizer que se anda a banalizar o termo violação e que isso é uma falta de respeito para quem é realmente violado é tão triste e revela tanta ignorância. Se alguém é forçado a uma prática sexual que não quer, é realmente violado. Não é mais nem menos violado, isso não existe. Pode haver mais ou menos violência, isso é outra coisa, mas a violação está lá. 

 

Muitas destas "pérolas" são de mulheres, o que me deixa triste. O machismo "de saias" é o pior.

 

Agora falando do Ronaldo, não me incomoda que ponham as mãos no fogo por ele, porque não sei o que se passou naquele quarto e também é mais queimadela menos queimadela, incomoda-me é que a presunção de inocência sirva só para quem tem pila.