Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Blog de AlGo

De mim, da vida... de tudo.

Usei o Tinder

... mas já desinstalei sem usar de facto. Não é a minha cena.

 

Podia dizer que foi com uma amiga, na brincadeira, para ver como era... mas vocês iam dizer: "isso é o que dizem todas", por isso não vou contar como foi.


Iniciei a sessão com o número de telefone, que não queria o Facebook a anunciar ao mundo que eu andava no Tinder.

Tive que ser eu porque sou livre e desimpedida, ela poderia arranjar problemas.

 

Começamos por deslizar tudo para a esquerda, porque queríamos era ver quem lá estava (é um niquinho estúpido, eu sei, mas pronto, como falar do assunto se não se experimentar?)

- Metade dos senhores tem um cão ou gato nas fotos, alguns têm uma criança.
- Ou são fotos do "gostosão daqui" ou são fotos de costas, só de um olho ou só da paisagem.

         A propósito, eu usei uma foto da paisagem e o segundo nome da amiga.

 

Resolvemos reduzir o perímetro ao mínimo possível, para ver se encontrávamos caras conhecidas.

- Terceira pessoa: um tio dela.
- Um ex de uma de nós que não ela.
- 5 colegas de trabalho (não vou dizer se meus ou dela)...

 

Desistimos e alargamos ao máximo a distância.

 

Começamos a deslizar para a direita sem olhar a quem.

Menos de 20 deslizamentos, 7 "Matches" e 5 mensagens...

 

Desistimos, fechei a conta e desinstalei o Tinder.

 

Conclusão principal?

Há poucas mulheres no Tinder, para tantos homens em tão pouco tempo fazerem "match" a um nome de mulher com cara de paisagem!

 

Porque fizemos isto? Somos parvas e cuscas. Trabalho de campo. Tinha que pesquisar para escrever sobre.

 

ADENDA: Não tenho nada contra o Tinder e menos ainda contra quem o usa. É uma forma de conhecer pessoas como outra qualquer. Com gente adulta e mentalmente sã dentro do possível, é aceitável e positivo.

 

Feliz aniversário...

... para mim.

 

Hoje, dia 39 de maio, completo 22 anos.

Esta piada já teve mais graça, das primeiras vezes que a disse, mas o certo é que me custa dizer que tenho 39 anos.

Não custa por me sentir velha (às vezes um bocadinho), não custa porque vejo o tempo a passar e tanta coisa que já devia ter feito e não fiz, não custa pelas coisas que já desisti...

... custa porque não parece. 

Porque olho para trás e não parece que já vivo há 39 anos.

 

Apesar do tanto que já perdi e do tanto que já ganhei, do tanto que já vivi, parece que ainda agora fiz 20 anos e estão a dizer-me que já QUASE passaram outros tantos...

 

Vocês ainda não me deram os parabéns, mas agradeço já, porque sei que o farão (pelo menos dois ou três de vocês).

Muito obrigada.

 

Obrigada por estarem desse lado e por todas as visitas e palavras que deixam. Por tudo o que me dão.

Uns muito, outros mais e alguns tanto... 

 

Sei que ando a falhar com muitos e que devo visitas que me deixariam ocupada até ao dia 40 de maio de 2019.

Não era um mau plano, mas não o posso prometer.

 

Mais uma vez, muito obrigada e PARABÉNS A MIM 

 

Sabem aquelas bolas anti-stress...

... que as pessoas amassam nas mãos para relaxar?

Tipo esta que me deram (que por acaso até um coração fofo)

IMG_20180430_012554.jpg

Irritam-me tanto!!

 

Digam-me que não é só a mim que isto provoca um efeito completamente contrário ao pretendido!!

 

#soueuprópriaumapessoaestranha

Cada vez gosto mais de ter um blog

Há imensa coisa que faço que pensava que era a única... afinal, há mais gente que nunca viu (nem quer ver) "Games of Thrones", há quem não queira pagar uma fortuna por um telemóvel só porque tem uma maçã (ainda por cima trincada) e, pasme-se, até há malucos para ler a última frase de um livro antes de o começar a ler como as pessoas normais...

 

Ontem até encontrei uma série de gente que deixa a chave na porta, no carro, portas e janelas abertas... uma alegria.

Sei que sou louca, mas é bom saber que não estou sozinha!!

Gosto de vós :)

Valha-me o "champanhe"

Não sou fã da passagem de ano.


Enquanto o mundo brinca e se diverte, fico murcha, de trombas e com um mau feitio que não se pode. Não sei se é do balanço "obrigatório" desta época, se é dos planos para o ano que aí vem... acho que é pelo facto de o minuto a seguir as 12 badaladas ser exatamente igual ao minuto antes das ditas. Devia ser diferente, ano novo devia ser diferente... e não é.

 

As celebrações são complicadas, pelo que normalmente fico por casa e este ano não foi diferente. Está frio demais para o meu gosto para me aventurar numa festa na rua e os sítios quentes são absurdamente caros.

Não há roupa nova nem roupa interior de uma cor específica, não há maquilhagem especial, nem cabelos arranjados, há comida boa, numa espécie de reedição do Natal, conversa-se, vê-se um filme, joga-se qualquer coisa... brinca-se com o Tobias, que ele sim, teve "roupa" para a festa.
Como não gosto de passas (misturadas até como, agora assim "sozinhas", não dá), não as como e, com isso, arraso logo à partida todos as possibilidades de os meus desejos se realizarem. Que "sa lixe", bebe-se espumante.
Como há quem cumpra as "regras", o Tobias teve direito às "passas" dele, que foi comendo para manter a gravata o nível tempo suficiente para umas fotos. Foi o único momento de "crueldade animal" para mim, já que o prato principal foi "paella" de legumes que estava maravilhosa. As entradas também são livres de produtos de origem animal e a sobremesa foi aletria, vegan e boa, que só comi já perto da meia noite.

Cada vez acredito mais que isto (ser vegetariana) é o que quero para mim. Foi uma resolução de 2017, feita a meio do ano, que quero manter para a vida.

 

BOM ANO pessoal, porque não importa o que fizeram na passagem de ano, importa o que farão o ano inteiro: sejam felizes.

Untitled collage (10).jpg

Untitled collage (11).jpg

 

 

De mim, da vida... de tudo!

foto do autor

AlGo destacado

  •  
  • Subscrever por e-mail

    A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.