Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Blog de AlGo

Por Mena Gomes

Blog de AlGo

Por Mena Gomes

25
Mai21

Quebra Costas...

... ou um coração despedaçado

Foi como um murro no estômago, uma facada no ventre, um raio na cabeça... tudo o que de mau podem imaginar, quando vi esta notícia:

Screenshot_20210525_215821.jpg

GRANITO??

Na zona da pedra calcária, o pavimento da zona histórica, do património da humanidade, está a ser substituído por granito...

Quem foi o idiota?

Quem permitiu esta merda?

Sim, a pedra calcária desgasta e escorrega e o caral#%, mas porra, o granito é bom para as lápides do cemitério... Raios!

O que vem a seguir? As paredes da Sé Velha pintadas de cor de laranja? Ou uma bola de espelhos a substituir a cabra?

#putaquepariuquemmandaaqui

03
Mai19

Serenata Monumental

Foi ontem. O dia mais esperado de centenas de caloiros para poderem envergar o traje académico e à meia noite, assinalada com o toque da cabra, traçar a capa. Segue-se a serenata que termina invariavelmente com a Balada da Despedida, que é uma das mais belas músicas da tradição coimbrã. 

 

Nos meus anos de estudante, os quatro verdadeiros e os outros em que não estudei mas era estudante (um dia explico) fui a duas serenatas: no primeiro e no último ano. 

Mesmo vivendo em Coimbra, nunca tinha assistido a nenhuma e achei que devia ir, tracei a capa, quase como manda a tradição e pensei: isto não é para mim, não volto cá. Gente amontoada, muitos desmaios, muito vómito... pouca música. Não se ouve nada lá no meio para além de "shiuuu" na tentativa de calar os bêbados estudantes mais animados.

 

No último ano tive a oportunidade de assistir de camarote, que é como quem diz, de uma janela, sem sequer precisar de a alugar (sim, fazem isso) e por isso lá cedi e fui... Ouvir, não ouvi nada, mas vi tudo e confesso que ainda estou para perceber como nunca morreu ninguém esmagado no meio daquele amontoado de gente.

 

Saudades do meu tempo de estudante, quase nenhumas e das tradições académicas menos ainda, mas acredito que seja mais sentimental para quem não é de cá e que muito do que provoca a choradeira e as saudades seja o álcool, que foi coisa que nunca bebi em nenhuma festa/cerimónia/jantar/acontecimento académico. Chamo-lhe, ser cuidadosa.

10
Jan19

Na verdade, são 101

Um artigo no Coolectiva diz que há 100 razões que nos fazem gostar de Coimbra. Esqueceram-se que eu estou cá, mas eu perdoo.

 

Não acho que todas sejam as melhores razões, ou melhor, eu não cumpriria tudo, mas consigo arranjar umas tantas para substituir as que não gosto...Têm um ano de oportunidades para visitar e viver Coimbra.

Apareçam.

 

Acho que vou fazer uma "check list" com alguns destes pontos para cumprir em 2019.

29
Set17

Autárquicas: Já decidi

Depois de dizer a um elemento da campanha PS que tenha juízo (querer-me convencer a votar PS com o argumento do aeroporto não foi um bom método) e de analisar (quase) todos os programas eleitorais (sim, sou dessas. Se não estiver informada, como me decido?) já sei como votar nas autárquicas do próximo domingo

 

Para a Junta de Freguesia foi fácil.

Resido num bairro esquecido numa ponta da cidade. Sempre foi um bairro periférico inserido numa freguesia central e, com a reorganização das freguesias, juntaram-se quatro, dando origem a uma grande e claro, o meu bairro ficou ainda mais esquecido. Todo o resto da freguesia é central na cidade, só a terrinha é periférica e tão esquecida que alguns candidatos nem sequer se deram ao trabalho de alguma vez aqui vir.

Posto isto, vou votar na única lista que tem, à cabeça, um homem da terra. É PS, para mal dos meus pecados eleitorais.

Não é perfeito, mas pelo menos conhece o bairro, as necessidades, as particularidades.

Se acho que vai mudar muito, não, mas é um voto de confiança. Mais esquecidos não ficamos certamente.

 

Para a Câmara e Assembleia Municipal foi bastante mais difícil escolher.

 

PS, de Manuel Machado.

Vai ganhar. Não gosto disso mas já me conformei, no entanto, não vou contribuir para isso.

 

PNR nem sequer quero saber o que propõe.

Fui ver as "caras" para, se me cruzar com eles na rua, mudar de passeio. (sou pela democracia mas não exageremos, estes não suporto).

 

"Mais Coimbra" está fora de hipótese.

Tem que ser alguém muito convincente para me fazer votar à direita, não é o caso.

 

"Somos Coimbra" não me convence.

Tudo muito lavadinho, sem sal, muitos doutores, nenhuma cara conhecida... Não sei o que é, mas "os nossos santos não se cruzam".

 

CDU, ora bem... eu até simpatizo com o senhor.

A CDU já foi digna do meu voto várias vezes. Muitas vezes me sinto um bocado "comuna"... mas há coisas que não compreendo nem aceito e que tenho que refletir no meu voto. Não posso votar num partido que defende ditaduras, que põe a culpa das parvoíces do tolinho da Coreia no outro tolinho da América... não tem a ver com autárquicas. Pois, não terá... mas tem a ver com tudo.

 

Fiquei assim entre PAN e "Cidadãos por Coimbra" e vou dividir o "mal" pelos dois.

 

Assembleia Municipal - PAN
Adoro que exista e espero que cresça, mas penso que seria muito mais útil como movimento do que como partido. Gosto do que propõe na generalidade. Não tem hipóteses na Câmara, mas na Assembleia poderá ter, se houver mais gente a pensar como eu.

 

Câmara Municipal - "Cidadãos por Coimbra"
São caras conhecidas e com quem simpatizo. Não apresenta grandes loucuras megalómanas e tudo o que propõe é exequível, assim queira quem manda. O senhor que quer ser presidente até salva gatinhos e fez um bom trabalho num bairro social da cidade enquanto foi vereador... gostava que voltasse a sê-lo.

 

Esta publicação é apenas a minha reflexão. Não pretendo fazer campanha ou influenciar o voto de ninguém.

 

O meu único apelo é VOTEM, votem sempre.

06
Mai16

Queima das fitas

Se tenho saudades dos meus tempos de estudante? 

- Não.

Se foram tempos maravilhosos que me marcaram para a vida?

- Não.

Se foram os melhores anos da minha vida?

- Não.

 

Para mim, Coimbra já era maravilhosa antes de andar na universidade, foi durante o tempo em que andei na universidade e continuou a ser depois de acabar os estudos, muito especial.

 

A mística, os sentimentos e a emoção já existiam e continuam a existir. 

 

Nesta semana académica, deixo aqui uma música especial, porque independentemente de achar toda praxe uma grande parvoíce, e cada vez o acho mais, há parvoíces menos parvas do que outras e a música é uma bela parvoíce. 

Toda a tradição académica fosse o traje e fado... era linda.

 

"Balada da Saudade" da K&Batuna,

a tuna da ESEC, escola onde me formei.