Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Blog de AlGo

De mim, da vida... de tudo.

Parem de assustar velhinhos

A respeito do pagamento de metade do subsídio de Natal das reformas deixar de ser paga em duodécimos, a velhinha presidente de uma associação de reformados dizia: "as reformas já são baixas e estão cada vez mais baixas". Mentiu.

OK, meio mentiu, vá.

De facto, as reformas (a grande maioria delas) são baixas, mas não ficam mais baixas pela falta do duodécimo. Ninguém está a tirar dinheiro a ninguém.

No fim do ano, o rendimento será o mesmo e em muitos casos até maior.

 

Aqueles que reclamavam que os pensionistas não tinham subsídio de Natal, porque estavam a receber aos poucos durante o ano, agora reclamam porque não recebem durante o ano...

não pode ser, para o bem da nação.

 

Estou satisfeita com as reformas em Portugal?

Nem um bocadinho.

É pouco, muito pouco dinheiro, mas não é com mentiras que se vai a lado nenhum.

 

Senhora velhinha Presidente da APRE, há mil e uma coisa para reclamar, não vá pelo jogo sujo da mentira. Tome lá umas dicas de reclamações a sério, são de borla, se quiser aproveite.

- A maioria das reformas são demasiado baixas. É um facto. Diga-o bem alto sempre que possa.

- Os aumentos são vergonhosamente baixos. Também o pode dizer, mas lembre-se que é sempre melhor aumentar pouco do que nada.

- É uma vergonha mexer nas reformas para resolver problemas financeiros do Estado, por isso, a situação dos duodécimos foi uma merda decisão feia, ainda bem que foi revertida.

- Com os aumentos generalizados de bens e produtos, o aumento miserável nas reformas é completamente anulado e, por isso, sim as reformas são cada vez mais baixas.

 

Lutem, reivindiquem, acho tudo muito bem, mas não inventem, não mintam.

Muitas das pessoas que vocês representam são frágeis, facilmente influenciáveis e assustam-se com essas mentiras desnecessárias.

6 comentários

Comentar post

De mim, da vida... de tudo!

foto do autor

AlGo destacado

  •  
  • Subscrever por e-mail

    A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.