Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Blog de AlGo

Por Alexandra Gomes

Blog de AlGo

Por Alexandra Gomes

06
Mar20

Desafio da escrita dos Pássaros 2 #6

“Volt’imeia é isto. Ligo o com´tador e ele abre janelitas sem parar.”

Desde que tem o portátil, comprado quando andou nas "Novas Oportunidades", Amélia não se cansa de "surfar na internet". Deixou de fazer ponto cruz, passa horas a procurar gráficos novos. Procura receitas durante muito temo e, por isso, não tem tempo para cozinhar. Como é pouco cuidadosa, para além de novidades também é brindada amiúde com vírus, malware e spyware.

Ligou ao sobrinho, que está em Erasmus em Malta:

- Ai" Filho. Fico tã preocupada agora co’esse conavírus que para aí anda...
- Esse quê?
- Essa doença dos chineses.
- Oh tia Amélia, só tu!!... o coROnavírus não é o vírus que mais te devia preocupar. Já te avisei que não abrisses tudo o que te enviam.
- ‘tão!! S’as p´ssoas mamandam as coisas, gosto de ver.

Pedro sabia que era uma batalha perdida.
- Vai ao Mister PC, no Fórum, e perguntas pelo Celso. Eu vou avisá-lo que lá vais.

Perto dos 50 anos, o pouco que Amélia aprendeu das novas tecnologias foi com a patroa que a convenceu a ir para as Novas Oportunidades tirar o 12º ano. O sobrinho Pedro era um querido, e acudia-lhe quando a máquina a atraiçoava.

“Embalou” o seu portátil como uma preciosidade, com plástico de bolhas e tudo, enfiou-o na pastinha, vestiu o melhor vestido, até pôs perfume e lá foi ela para o centro comercial.

Na loja perguntou pelo Celso.

- Sou eu. Deve ser a “tia” Amélia.

Amélia ruborizou. Pensava encontrar um puto como o sobrinho e afinal, Celso era um quarentão, alto e espadaúdo, com olhos verdes e um sorriso afável.

- O mê Pedro disse-lhe o que ê queria sr. Celso?
- Disse, mas sou só Celso.

Enquanto “desembrulhava” a “relíquia”, o informático reparou que por trás daquele “look” e trato simples havia uma bela mulher.

- Dona Amélia. Enquanto isto aqui fica a limpar, vamos tomar um café? Eu explico-lhe como evitar vírus e outras coisas más…

Amélia aceitou. Há muito tempo que não estava sozinha com um homem, nem sabia bem o que dizer, mas foi “um café“ agradável, e a conversa acabou por ser divertida, com Amélia a aprender bastante de como devia usar o computador.

De regresso à loja, Celso tratou de encerrar e embalar o computador, sem o plástico bolha, que ela já sabia ser desnecessário. Disse que a conta acertava com o sobrinho Pedro e despediu-se de Amélia com um beijo na mão.

“Estou perdida!! Venho aqui com um vírus no portátil e vou-me daqui com um no pensamento. Atão mas agora vou-me ficar a sonhar com o informático, que nem sequer é home para mim”

Só no dia seguinte voltou ao computador, para pesquisar como tratar orquídeas, que deixara morrer ocupada que está em pesquisas de como tratar de plantas. Quando abre, encontra uma surpresa no ecrã

IMG_20200305_233307.jpg

 

Tema: Oh não, um vírus outra vez!
Desafio de Escrita dos Pássaros

 

15 comentários

Comentar post