Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Blog de AlGo

Por Alexandra Gomes

Blog de AlGo

Por Alexandra Gomes

05
Out18

52 semanas, 52 questões #40

Uma das minhas memórias mais antigas

 

As minhas memórias de infância surgem como "flashes", não são histórias. 

Não será a mais antiga, mas lembro das tardes de chuva a jogar dominó com o meu avô, dos lanches de "bolos de farinha" e refresco aos sábados à tarde quando a minha avó me ia levar a casa depois da minha mãe sair do trabalho, do meu pai me ensinar a andar de bicicleta... de ir apanhar amoras na aldeia do meu pai...

flashes, só flashes, mas que me deixam o coração quentinho.

 

21
Set18

52 semanas, 52 questões #38

Escrever sobre alguém que admiro
 
Cristina Ferreira.
 
Sim, contra a corrente de quem "se acha", eu admiro a Tininha da Malveira.
A mulher é bonita, tem presença, é inteligente, tem garra, é talentosa e divertida... e mais uma série de coisas boas que a fazem ter o sucesso que tem.
 
Sim, é difícil uma miúda da aldeia subir e chegar onde ela está.
Sim, é raro ver-se uma mulher ter o poder que ela tem.
 
Isso provoca admiração, mas também muita inveja e só isso justifica muito do que se viu por aí.
 
Choca-me um bocadinho ouvir coisas como:
- "Ganha tanto dinheiro para não fazer nada".
          Acham mesmo que ela não faz nada?
- "Sabe-se lá o que fez para chegar onde está"
         Vindo de mulheres, é nojento.
 

Claro que há quem não goste genuinamente dela, têm todo o direito, eu também não gosto de muita gente sem ter para isso nenhum motivo muito válido, mas por favor, não digam que é só porque ela é esganiçada a falar, porque isso diz mais de vocês do que dela. Digam só que os "vossos santos não se cruzam" e pronto.
 
Não gosto de tudo o que ela faz, não concordo com tudo o que diz e não acho que a saída dela seja comparável à morte da princesa Diana*... mas, sim: admiro a Cristina Ferreira. 
 
* não foi ela que se comparou, foi alguém que lhe disse isto, mas foi um disparate que ela devia ter guardado só para ela, mas não guardou... ninguém é perfeito.