Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Blog de AlGo

De mim, da vida... de tudo.

Então vai poder haver cães em restaurantes

... para surpresa de muitos, não concordo lá muito com a medida.

 

A ideia é boa, claro que sim. Poder levar o Tobias a qualquer parte seria muito bom (apesar de ser tarefa complicada, mas adiante), o problema é que não confio na maioria dos humanos responsáveis pelos animais.

Se há humanos responsáveis, que educaram os seus amigos a ser uns lordes e a comportarem-se bem em todo o lado, há os irresponsáveis, como eu, que os deixam fazer tudo e estão nem aí quando as pessoas dizem: "mas ele é um cão, tem que ter regras".

Estes últimos, dividem-se em duas categorias, os que têm um cão que, apesar de destrambelhado, é meigo e controlável, que é o meu caso, e os que tutelam um cão problemático, pelas mais diversas razões, e cujo humano que o acompanha não é capaz de o controlar.

 

Como todos vão poder entrar: os cães que se deitam debaixo da mesa e dormem e os que foram "educados" para lutar, por exemplo, não acho seguro, nem para pessoas nem para animais.

Não estou a ver o dono de um estabelecimento impedir o dono de um pit bull* (só um exemplo) de entrar e depois de uma pessoa ou outro animal ser atacado por um cão, pouco importa vir a polícia para os retirar do local e apurar responsabilidades. Bem sei que também andam na rua, mas "fechados" num estabelecimento, rodeados de desconhecidos, barulhos estranhos e eventualmente outros animais, é todo um cenário diferente que acho que não está atualmente acautelado.

OK, um ataque de um cão é capaz de ser um caso extremo, mas é o que me assusta, porque baba e pelos por todo o lado não me faz confusão, no entanto, lá porque convivo com o pelo do meu cão com o mesmo à vontade com que convivo com os meus cabelos, isso não quer dizer que toda a gente tenha que sentir o mesmo.

Lá porque adoro o Tobias, isso não significa que toda a gente o sinta e que não possa haver até pessoas que têm medo dele (não tenham a sério, não há necessidade).

Eu não me importo nada de o ver em amena cavaqueira com um outro cão que acabou de conhecer, isso não quer dizer que toda a gente à minha volta tenha que almoçar a ouvir dois cães amigavelmente engalfinhados na galhofa.

 

Detestaria estar a comer com uma cobra ou uma tarântula na mesa do lado, tenho que respeitar quem possa temer um cão.

Num mundo ideal, seria perfeito poder levar os patudos a todo lado, mas vivemos no mundo real, pelo que acho bem que fique ao critério do dono do estabelecimento, o que faz com que, na maioria dos casos, seja proibido na mesma.

Lamento que assim seja, porque adorava viver num mundo ideal, mas é o que temos.

 

*ATENÇÃO: não tenho nada contra pit bulls, tenho é contra alguns donos de alguns deles.

 

 

O que tem Trump de pior?

Ou de mais assustador, se preferirem: as pessoas que o rodeiam.

 

Ele sozinho não vale grande coisa, mas assustam-me dos mentecaptos que lhe aparam os golpes, que provavelmente o incentivam na loucura, que aplaudem a sua alucinação constante.

 

Assusta-me ver um médico dizer isto:

IMG_20180117_141446.png

Este delírio soa-me tão familiar.

Foi tão recente na história do Homem haver um senhor que se declarava geneticamente especial e que, rodeado de mentecaptos, fez tanta merda.

 

Ai humanidade que não aprendes nada!

 

 

Parem de assustar velhinhos

A respeito do pagamento de metade do subsídio de Natal das reformas deixar de ser paga em duodécimos, a velhinha presidente de uma associação de reformados dizia: "as reformas já são baixas e estão cada vez mais baixas". Mentiu.

OK, meio mentiu, vá.

De facto, as reformas (a grande maioria delas) são baixas, mas não ficam mais baixas pela falta do duodécimo. Ninguém está a tirar dinheiro a ninguém.

No fim do ano, o rendimento será o mesmo e em muitos casos até maior.

 

Aqueles que reclamavam que os pensionistas não tinham subsídio de Natal, porque estavam a receber aos poucos durante o ano, agora reclamam porque não recebem durante o ano...

não pode ser, para o bem da nação.

 

Estou satisfeita com as reformas em Portugal?

Nem um bocadinho.

É pouco, muito pouco dinheiro, mas não é com mentiras que se vai a lado nenhum.

 

Senhora velhinha Presidente da APRE, há mil e uma coisa para reclamar, não vá pelo jogo sujo da mentira. Tome lá umas dicas de reclamações a sério, são de borla, se quiser aproveite.

- A maioria das reformas são demasiado baixas. É um facto. Diga-o bem alto sempre que possa.

- Os aumentos são vergonhosamente baixos. Também o pode dizer, mas lembre-se que é sempre melhor aumentar pouco do que nada.

- É uma vergonha mexer nas reformas para resolver problemas financeiros do Estado, por isso, a situação dos duodécimos foi uma merda decisão feia, ainda bem que foi revertida.

- Com os aumentos generalizados de bens e produtos, o aumento miserável nas reformas é completamente anulado e, por isso, sim as reformas são cada vez mais baixas.

 

Lutem, reivindiquem, acho tudo muito bem, mas não inventem, não mintam.

Muitas das pessoas que vocês representam são frágeis, facilmente influenciáveis e assustam-se com essas mentiras desnecessárias.

Polémica: Padaria Portuguesa

Nova publicidade gratuita polémica em torno da Padaria Portuguesa.

 

Desta vez, a padaria deitou fora bolos rei e as redes sociais estão a rubro.

Exagero!! (para variar)


Aviso que não sou fã da Padaria Portuguesa e que até desejo que o seu sócio polémico (e os outros se partilharem a opinião dele) se torne, alérgico ao glúten, mas esta história dos bolos é estúpida, hipócrita e fica mal a toda a gente.

 

Ninguém deita bolos fora daquela forma, o que me faz parecer que alguém foi ao lixo buscar os bolos e os "acastelou" naquele caixote

 

Quem por estes dias não desperdiçou comida atire a primeira pedra, por isso não me venham com histórias de moral.

 

Bolos rei não matam a fome a ninguém, ainda para mais numa altura em que toda a gente dá bolo rei a toda a gente.

 

Se é mau? É, claro que sim. Deitar comida fora é sempre mau, mas não é o dramalhão que estão a fazer e se não fosse aquele cenário tão bem montado, ninguém ligava.


Posto isto, o dono da Padaria também pode ser alérgico à lactose, só para completar.

Estão felizes?

Centeno ganhou no Eurogrupo!!!

 

Não sentem um entusiasmo palpitante?

     Vontade de por bandeiras nas janelas e gritar aos ventos "Portugal, Portugal!"?

 

Os vossos corações não aceleraram de emoção naqueles minutos de votação final?

Não estão alegres e bem dispostos?

Não se sentem os maiores?

Eu também não.

Não se combate o crime com outro crime

Ontem, Coimbra foi notícia por causa de um ato de violência extrema. Um crime sem justificação, indesculpável, mas logo surgem os comentários racistas e injustos que acusam toda uma etnia da atitude de dois criminosos.

 

Parece que os atacantes eram de etnia cigana, mas daí não se pode concluir que "só podiam ser ciganos", que "é o que dá dar RSI a esta gente", que "o Ventura (o André de Loures) é que tem razão"... O absurdo é quase tão grande como é grande o tamanho da barbaridade que estas duas pessoas cometeram.

 

Dizer que todos os ciganos são criminosos, é o mesmo que dizer que todos os bombeiros são incendiários, porque todos sabemos que há alguns que provocaram incêndios. É o mesmo que dizer que todos os homens matam as mulheres com quem casam, porque o número de mulheres assassinadas pelos maridos não para de crescer. É o mesmo que dizer que todas as mães matam os filhos, porque há algumas que o fazem... acho que já perceberam a ideia.

 

Estes dois monstros têm que ser apanhados e punidos, assim como toda e qualquer pessoa que cometa crimes. É isso que devemos exigir das autoridades.

Não nos adianta de nada andar a mandar bojardas racistas e xenófobas pelas redes sociais.

De mim, da vida... de tudo!

foto do autor

AlGo destacado

  •  
  • Subscrever por e-mail

    A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.