Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Blog de AlGo

De mim, da vida... de tudo.

Filme ao Sábado #Futurístico

Suponho que quer dizer filme de ficção científica... não gosto particularmente, mas consigo destacar o clássico "Regresso ao Futuro", ou o "Matrix"... mas não sou particularmente fã.

 

O último que vi foi "A Origem", mas não são os filmes da minha vida.

Pois, gostei de "The 100"... eu sei que sou maluca estranha.

 

 

52 semanas, 52 questões #38

Escrever sobre alguém que admiro
 
Cristina Ferreira.
 
Sim, contra a corrente de quem "se acha", eu admiro a Tininha da Malveira.
A mulher é bonita, tem presença, é inteligente, tem garra, é talentosa e divertida... e mais uma série de coisas boas que a fazem ter o sucesso que tem.
 
Sim, é difícil uma miúda da aldeia subir e chegar onde ela está.
Sim, é raro ver-se uma mulher ter o poder que ela tem.
 
Isso provoca admiração, mas também muita inveja e só isso justifica muito do que se viu por aí.
 
Choca-me um bocadinho ouvir coisas como:
- "Ganha tanto dinheiro para não fazer nada".
          Acham mesmo que ela não faz nada?
- "Sabe-se lá o que fez para chegar onde está"
         Vindo de mulheres, é nojento.
 

Claro que há quem não goste genuinamente dela, têm todo o direito, eu também não gosto de muita gente sem ter para isso nenhum motivo muito válido, mas por favor, não digam que é só porque ela é esganiçada a falar, porque isso diz mais de vocês do que dela. Digam só que os "vossos santos não se cruzam" e pronto.
 
Não gosto de tudo o que ela faz, não concordo com tudo o que diz e não acho que a saída dela seja comparável à morte da princesa Diana*... mas, sim: admiro a Cristina Ferreira. 
 
* não foi ela que se comparou, foi alguém que lhe disse isto, mas foi um disparate que ela devia ter guardado só para ela, mas não guardou... ninguém é perfeito.

Vi "The 100"

... e gostei para lá de muito.

 

Agora me lembro porque nunca mais me tinha dedicado a séries e porquê que desde "Lost" não voltei a ver uma seguida... a espera. 

     Quero mais episódios e não tenho porque ainda não há... então mas isto tem algum jeito?

 

E porquê que gosto tanto destes desgraçados desta série (tentando não desvendar nada) para além dos jeitosos e dos muito jeitosos que por lá andam?

- Gosto do guarda roupa extraordinário e da banda sonora. Completavam as cenas como se de verdadeiras personagens se tratassem.

- Há verdadeira igualdade de géneros, quer pelas várias mulheres que assumem o poder em muitas situações quer pelo facto das escolhas (por exemplo quem vai à luta) serem baseadas nas capacidades e não no que têm entre pernas.

- A normalidade com que é abordada a sexualidade. Sempre tratada de forma intima, sem influenciar nada além da vida social das personagens, como deveria ser na vida real.

- Foi sempre relativamente fácil perceber os motivos que levavam as personagens a fazer as mais variadas atrocidades. Podia não concordar com muitas coisas, mas entendi sempre as opções.

 

Houve coisas que me faziam pensar: "só numa série", porque realmente eram "impossíveis" na vida real.

- O facto de levarem porrada quase até à morte e recuperarem tão bem. Aquela médica salvava o SNS em três temporadas. Vai a todas a doutora.

- Do nada fazerem tudo. Resolviam as mais variadas situações com uma espécie de "espírito MacGyver" da era espacial. Tinham dois cabos, uma chave de fendas e um decilitro de "gasolina"? OK, ´bora para o espaço. (isto não aocnteceu, não é spoiller, mas podia ter acontecido)

- Tinham todos um pouco de S. Benedito. "Não come nem bebe mas anda sempre gordito". (bom, nem sempre foi fácil... mas bonitos eles são).

 

Venha de lá a 6ª temporada que estas cinco passaram muito rápido.

 

 

 

 

'Lá ver uma coisa #11

"O hábito não faz o monge".

Não importa que o primeiro-ministro tenha chegado de calças de ganga e sem gravata a Angola.

 

Se as pessoas pensassem menos nos trapos e mais nas ações, o mundo seria um lugar muito melhor.

E isto serve para o primeiro-ministro em Angola, para a Etelvina no escritório, para Carlota na escola, para a D. Rosa no casamento da sobrinha... para o mundo em geral.

 

O Presidente da República passou metade do verão praticamente nu nas televisões e ninguém se importou.

 

 

Filme ao Sábado #Cultural

Tendo em mente que todos os filmes são culturais, procurei pensar num que, mais do que entretenimento me tenha dados conhecimentos culturais... pensei, pensei... pensei. Para além de todos: "Os Homens do Presidente".

O retrato do escândalo Watergate, que conduziu à destituição de Richard Nixon, é uma forma emocionante de ficar a conhecer uma parte da história dos Estados Unidos da América e os meandros da política e do jornalismo.

 

Não posso dizer que foi o que me fez querer ser jornalista, mas que me atiçou a vontade, sem dúvida.

 

 

De mim, da vida... de tudo!

foto do autor

AlGo destacado

  •  
  • Subscrever por e-mail

    A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.