Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Blog de AlGo

De mim, da vida... de tudo.

Sapos do Ano 2018 - Os Nomeados

E chegou a minha fase favorita deste magnífico concurso inventado pela Magda, que junto o David à equipa.

 

Tiveram uma trabalheira, imagino, mas já divulgaram quem são os blogs nomeados.

 

Blog de AlGo, esta casa que vos acolhe, está na lista de nomeados na categoria Opinião

E está muito bem que o que faço mais é opinar. Opinar.

 

Muito obrigada a todos os que se lembraram deste canto, com certeza foram mais do que muitos os melhores leitores de sempre.

 

O que gosto mesmo disto é a possibilidade de conhecer novos blogs.

Espaços onde se calhar nunca iria se alguém não o sugerisse. Daí esta ser a minha fase favorita do concurso.

 

52 semanas, 52 questões #45

Cinco coisas estranhas que gosto

 

Sem nenhuma ordem ou contexto, mas não lhes vou chamar estranhas, vou chamar diferentes...

- Música brasileira, tipo Leandro e Leonardo, estão a ver?.

- Jogos de bolinhas, tipo Bubble, estão a ver?.

- Telenovelas, tipo não vejo mais porque não tenho tempo.

- Bolachas Joaninhas com batatas fritas Pringles. Comidas ao mesmo tempo.

- De passar tempo sozinha. Mais do que gostar, preciso mesmo.

 

Ditadura do gosto?

Não, porque a tourada não é uma questão de gosto.

 

Eu respeito quem gosta de música "pimba", daquela brejeira e quem gosta de heavy metal, quem venera a "Guerra das Estrelas" ou "Game of Thrones", quem aprecia malabaristas, trapezistas e palhaços...

 

Não gosto de nada disto, mas respeito e até consigo dar valor ao trabalho dos artistas.

 

Agora quem gosta de massacrar um animal ou de aplaudir uma prática violenta e cruel não merece o meu respeito.

 

Todo o debate que se está a gerar em torno da tauromaquia devia servir para levar a cabo iniciativas que ponham fim a este costume doentio. Duvido que por decreto se chegue lá, mas acredito que se os puserem a viver da bilheteira, isto acaba rapidamente.

 

Não podemos olhar para um touro e achar que ele nasceu para ser massacrado. Não se podem aplaudir leis de proteção animal (quantas mais melhor) e deixar de parte o touro... e o cavalo, já agora.

 

Não pessoas que gostam de touradas, vocês não são civilizados.

São pessoas sádicas, retrogradas e mesquinhas. Assumam de uma vez que gostam de fazer mal aos animais e não se escondam na tradição e muito menos na cultura. Ganhem a coragem que fingem ter ao "enfrentar" o touro e assumam de vez que são más pessoas e não se importam se o animal sofre ou não.

 

Não há um único argumento válido para esta barbárie continuar. 

 

 

 

Se calhar não sou feminista

Logo eu, tem piada!!

 

Descobri, porque não me faz confusão nenhuma não ver mulheres nesta "foto de família" da Web Summit.

45548046_1892782457503531_7052580331483824128_n.jp

Aliás, tiveram que me explicar, porque eu nem dei por falta delas.

 

Até que me digam que algum daqueles homens (ou outros) impediu que ali estivessem mulheres, não vejo ali qualquer desigualdade de género.

 

O que me irrita solenemente, e até me envergonha enquanto mulher, é o discurso de "coitadinhas de nós gajas, sempre a sermos discriminadas".

 

Com certeza, andam por aí muitas indignadas da foto que:

- Passam a camisa do marido a ferro porque "é a única coisa que ele não faz".

- "Deixam" o marido ir lavar o carro ao sábado à tarde enquanto aspiram a casa, limpam o pó, fazem o jantar...

- Celebram alegremente porque o marido lhes ofereceu um robot de cozinha no aniversário.

 

O feminismo começa em casa amigas, na vossa casa!!

 

Isto para não falar das que acharam, só porque sim, que "a dançar daquela maneira e assim vestida? Foi violada foi!"

 

O feminismo é lutar por direitos iguais, é mostrarmos em todas as áreas da nossa vida, TODAS, que somos iguais no que tem que ser igual (porque há diferenças, e são tão boas). 

 

E é igual, não é superior.

 

Feminismo e comportar-se como um ser de direitos e deveres iguais e não passar o tempo a lamentar porque fazem de nós diferentes. Até porque muitas vezes, na maioria das vezes, acredito eu, são as mulheres as culpadas. 

 

Tenho para mim que não há ali mulheres porque as mães da "geração tecnológica" puseram as meninas a ajudar nas lides domésticas enquanto os meninos jogavam computador e iam lavar o carro com o pai. Davam Legos aos meninos e Barbies às meninas.

Continuem a comprar cozinhas, esfregonas e tábuas de passar a ferro para as meninas brincarem e depois queixem-se que as vossas filhas não têm tantas oportunidades.

 

O feminismo começa em casa amigas, na vossa casa!!

 

 

 

De mim, da vida... de tudo!

foto do autor

AlGo destacado

  •  
  • Subscrever por e-mail

    A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.