Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Blog de AlGo

De mim, da vida... de tudo.

Lido com pessoas estranhas #8

- "Quero fazer uma tatuagem", diz ela a olhar para o pé.

- "Sim? De quê?" pergunto eu.

- "Ainda não sei".

 

Quer estar na moda, mas não tem nenhum motivo, nada de relevante, nada que valha a pena... para marcar a pele para sempre. 

 

Já perceberam que adoro tatuagens?

Não adoro. Muito menos se não tiverem significado nenhum.

 

Mas façam as tatuagens que quiserem, não é nada comigo.

É só uma opinião.

Choca, choca-me muito

- Que existam pessoas que desejam mal a pessoas que não conhecem, só porque estão a dar um beijo.

- Que haja pessoas que se preocupam com a atividade sexual de outras pessoas que não seja o seu namorado, marido/mulher, amante...

 

Isto tudo a respeito da revista "Cristina".

19702476_1757165047645719_3927100826018850988_n.jp

As caixas de comentário das várias publicações que a Cristina Ferreira fez desde que começou a promover este número da revista são um atentado. Muitos dos comentários são abjetos, atrozes, feios... desumanos.

 

Já agora, a minha opinião é que esta é uma das capas mais bonitas que a revista "Cristina" já lançou.

Quanto ao resto, não sei, ainda não tive tempo de ler as entrevistas.

 

Do Ronaldo e dos filhos

... muito se diz e critica. Pois eu compreendo o que faz e até admiro a atitude. Quer ser pai e está-se nas tintas para o que os outros pensam.

 

Querer ter filhos não implica querer ter um casamento "tradicional". A sociedade ainda não "o prevê", mas sim, há pessoas para quem ter filhos não é um projeto a dois.

 

Se por exemplo o Cristianinho fosse filho da Irina, agora que estão separados, haveria, na melhor das hipóteses, uma guarda conjunta. Mas poderia ter havido um processo de custódia, com tudo o que isso tem de mau para todos os envolvidos, principalmente a criança.

 

A criança vai sentir falta da mãe? Pois, não sei se vai. Há quem acredite que não se sente falta do que nunca se teve, não sei se é verdade, mas o que sei que é verdade é que as crianças sofrem com "guerras", com desentendimentos, com violência, não sofrem quando há amor. E os filhos do Ronaldo estão rodeados de amor, não tenho a mínima dúvida.

 

Nem vou falar naquela teoria absurda da falta que faz uma figura feminina/masculina na vida de uma criança em família monoparental. Não tenho paciência e seria por em causa a adoção monoparental. Também é um erro? Não é, obviamente.

 

"Mas então o Ronaldo podia adotar". Podia, mas não quer (até agora).

Só quem não sabe as dificuldades do processo de adoção pode achar que seria mais fácil ele adotar. Sim, tem dinheiro, mas isso não impediria, antes pelo contrário, que mais dia menos dia os pais biológicos "se arrependessem" e procurassem a criança.

 

Sou completamente a favor daquilo a que muitos chamam "produção independente" mas que eu prefiro chamar maternidade ou paternidade e nada mais. Num tempo em que a natalidade está em queda, até para a sociedade é bom.

 

Se ele fosse uma mulher e tivesse recorrido à inseminação artificial também andariam a dizer que ele comprou as crianças? A "barriga de aluguer" é polémica, já escrevi o que penso, apesar de não ser no mesmo contexto, mas que outra forma tem um homem para ter um filho biológico se não for assim? 

 

Se é egoísmo, sim, admito que possa ser, mas fossem todos os egoísmos a vontade de dar amor, o mundo não seria um local tão mau.

 

 

"Carta de condução" para redes sociais

Se eu não fosse contra petições fazia uma para que se criasse um exame de admissão ao Facebook.

 

Não tem positiva? Não abre conta.

 

Tenho visto pessoas a publicar coisas que me apetece bater-lhes. 

 

- Uma pessoa publicou que uma família que estava desaparecida, tinha sido encontrada, sem vida. Pouco depois, partilhou algo (do dia anterior) a pedir que quem os visse contactasse, porque estavam desaparecidos.

 

- Muitos partilharam que a polícia informou que se pode e deve partir vidros dos carros para salvar cães em sofrimento lá dentro. Para ser legal, só se tinha que tirar uma fotografia ao cenário antes.

 

- Continuam a publicar que o Facebook vai ser pago a partir de amanhã às 12h47m. Garantem que viram nas notícias.

 

- Alguém já contou as vezes que já morreu o Liedson?

 

- E quantas mais vezes "morreu" um ator que agora não me recordo o nome, desde a primeira vez em que morreu efetivamente há mais de 10 anos?

 

POR FAVOR!! Páginas como "Tá Bonito", "Ganda Galo" e "Correio da Manhã", não são de confiança.

Confirmem antes de partilhar essas tretas!!

 

E quando lerem "notícias" do "Imprensa Falsa" ou do "Inimigo Público", não se indignem... eles estão sempre a brincar...

Não há paciência.

 

 

Ardeu?

- É os presos a limpar matas.

- É os do rendimento mínimo a limpar matas.

- É os desempregados a limpar matas.

- É os refugiados a limpar matas.

                                       ...

Quem tem matas, que se deixe estar no seu cantinho a assinar petições.

 

Isto, como se a simples limpeza das matas fosse a resolução total do problema.

As claques são reles

Confesso, não sei qual é o som de um "very light".

Mas sei que, se o que se ouve aqui é uma referência a esse triste momento, é tão reles como a "história do avião".

 

Para mim, as claques organizadas deviam ser proibidas de entrar em recintos desportivos enquanto não aprendessem que apoiar o seu clube é diferente de insultar os outros e que não se brinca com a perdas das pessoas.

 

Infelizmente, a estupidez não tem clube.

Pior, a estupidez é e está em todos os clubes.

 

Os super dragões são reles

É só o que tenho a dizer sobre a estupidez e a falta de respeito desta gente para com o desporto e, principalmente, para com a Chapecoense.

 

Não falo do Benfica, porque não me sinto ofendida como benfiquista. É preciso mais do que estupidez para me ofender como tal. Mas como ser humano, como PESSOA, como alguém que lamenta muito o que aconteceu à equipa brasileira, sinto vergonha desta idiotice.

 

O FCP não se pode demarcar.

Tem que lamentar, pedir desculpa e punir a sua claque.

Conhecem o Polícia da Moda?

Sempre que o vejo* me pergunto essencialmente duas coisas:

 

- Que tem ele (e o mundo em geral) a ver com o que cada pessoa veste ou despe?


- Que importância lhe darão as pessoas visadas pela sua crítica?

 

Já agora, ele intitula-se "polícia da moda" e avalia os looks através de cartões (vermelho, amarelo e verde). Quem usa esse sistema são os árbitros, não os polícias.

 

Se me estiveres a ler rapaz, fica sabendo que te escrevo vestida com um pijama** da Hello Kitty comprado na Primark e umas meias com uma cara de rato (ou será um urso?) que me saíram numa rifa. Não te falo da minha roupa interior, para isto não parecer um chat badalhoco. O cabelo está preso para cima com uma mola, já lavei a cara o rosto, mas ainda não hidratei e era para pintar as unhas mas não me apetece.

 

Podes-me dar um cartão vermelho, eu gosto da cor.

 

*Porque vejo se não gosto e nem sequer respeito o trabalho dele? Porque me pagam para isso. Se há coisa que respeito é o meu salário.

**Porque estou de pijama ao meio dia? Isso é hora de saída do post, não a hora em que foi "alinhavado".

De mim, da vida... de tudo!

foto do autor

AlGo à Mesa

AlGo destacado

  •  
  • Subscrever por e-mail

    A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

    Queres falar comigo? Escreve.