Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Blog de AlGo

De mim, da vida... de tudo.

Há bom jornalismo...

... há mau jornalismo e há o correio da manhã, que não é jornalismo de todo.

 

Terá um ou outro bom profissional, que faz algumas coisas bem, mas o que sobressai naquele órgão é o mau, o péssimo e o pior.

 

Por questões de trabalho, às vezes sou forçada a ver a CMTV, o jornal não leio e não sigo as redes do grupo, mas é impossível viver à margem daquilo que se "vomita" nas suas publicações. Ontem o Facebook estava "inundado" de pessoas indignadas com algo publicado pelo CM, fui ver.

 

Não abri o vídeo, não é preciso para ver que algo está errado.

Diz assim:
"Rapariga filmada e abusada no Porto e ninguém fez nada".

O CM fez, digo eu.

Publicou as imagens.

Diz que estão desfocadas, mas, e daí?

Publicar uma violação é tão violento como exerce-la. Não tenho dúvidas disso.


O jornal fez um editorial, mal escrito na minha opinião, que termina com a frase:

- "A realidade não fica melhor, por ignorarmos os factos."

Pois não CM, não fica.

Mas fica melhor por a mostrarmos?

 

Quando a rapariga em causa vir as imagens ou ler os comentários grotescos que já vi pelas redes, a realidade dela vai ficar muito melhor?

Quando qualquer pessoa abusada vir as imagens ou ler os comentários grotescos que já vi pelas redes, a realidade das vítimas vai ficar muito melhor?

 

Quão melhor a sociedade fica por ver aquele vídeo?

 

O jornal não publicou aquilo porque é preciso noticiar, publicou para ganhar "cliques", visualisações, dinheiro... nada mais. 

Lamento, lamento muito que tanta gente se deixe cegar por este "jornalismo". 

 

Sei do poder que os media têm sobre a sociedade. É muito triste e assustador que a maioria da sociedade seja influenciada por este lixo. Até porque esta história do vídeo da violação é só uma pequena página desta história de porcaria.

19 comentários

Comentar post

De mim, da vida... de tudo!

foto do autor

AlGo à Mesa

AlGo destacado

  •  
  • Subscrever por e-mail

    A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

    Queres falar comigo? Escreve.