Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Blog de AlGo

De mim, da vida... de tudo.

Conchita Wurst é um talento

Esteve no "Ídolos" e eu gostei.

A maioria das pessoas que conheço não consegue olhar para a personagem sem rir, sem fazer torça. Alguns até praguejam, desejando coisas pouco dignas a uma pessoa que nem conhecem.

Para mim, é um artista. 

 

Thomas Neuwirth é um grande artista. 

 

Continuo a achar que devia dar um homem jeitosinho e que dá uma mulher deslumbrante. Da atuação no "Ídolos" e na conversa com o Manzarra, percebi alguns trejeitos bem mais masculinos do que aquando do Festival. Mesmo com a barba consigo perceber feições femininas bonitas.

Acredito que é preciso "ter tomates" para fazer o que faz, apresentar-se como se apresenta e continuar a parecer gentil e simpático. E há muito poucos homens com "tomates". Melhor, há muito poucas pessoas com "tomates". 

 

Gostei da música. Canta bem e teve uma interpretação de excelência. Que mais posso pedir a um artista? Com quem dorme ou está acordado não me interessa minimamente e não me faz confusão a forma como se apresenta. Choca-me bem mais as performances de Miley Cyrus ou a outra que se vestiu de carne... mas isso pouca gente roga pragas. Porque lá está, a sexualidade dos outros continua a fazer comichão a muita gente.

 

Hoje tenho a certeza de uma coisa, gosto mais da Conchita do que de algumas pessoas que conheço há anos e que ouvi dizerem coisas muito feias a respeito de alguém que não conhecem, só porque não vive nos padrões da sociedade.

 

E já o ouviram de sem máscara? Eu gosto.

 

Já tinha falado sobre ela quando venceu o Festival da Eurovisão.

_______________________________________

 

Festival Eurovisão da... polémica

por Alexandra, em 13.05.14
 

De música fala-se muito pouco quando se quer comentar o festival da canção. É pena, porque este já foi um grande momento de televisão e uma bonita mostra de música.

Há muito tempo que Portugal não tem hipóteses de vencer o certame e, salvo uma rara exceção, as participações tugas dos últimos tempos têm sido más, a roçar o ridículo e envoltas em polémicas mais ou menos pesadas. A de este ano manteve a tradição, mas sinceramente, não vi grandes diferenças entre a música da Suzy e muito do que "bomba" nas nossas rádios. Ou querem-me dizer que os poemas dos grandes sucessos pop mundiais são dignos de um Nobel? Querem lá ver!! Se a letra do Emanuel fosse "I wanna be yours" e fosse cantada pela Shakira era um sucesso... enfim, a "tuguice" no seu melhor.

É impossível ficar indiferente ao fenómeno Conchita. Não sei o que se passa naquela cabeça (nem me interessa que não sou pessoa dada ao preconceito), mas é facto que deve dar um homem jeitosinho e fica uma mulher deslumbrante... isto se fizermos um esforço e nos abstrairmos da barba...  Eu gostava que se decidisse, ou então não, a vida é dele/dela.

Se a música sem a barba era a vencedora? Não, de certeza que não. Mas a música, e o festival no seu todo, são um espetáculo, por isso, foi um digno vencedor. A canção em si não é má (a letra tem algum interesse e a música é agradável para mim), a voz e a interpretação são boas... mas não tenho a certeza que com menos pilosidade lhe dessem atenção.

Para mim o justo vencedor, se isto ainda fosse um festival da canção, seria ou a Roménia ou a Holanda... Mas isso sou eu. Não percebo muito de música e se me coubesse decidir o vencedor, seria baseado no simples "gosto"/"não gosto"

 

_______________________________________

 

 

4 comentários

Comentar post

De mim, da vida... de tudo!

foto do autor

AlGo à Mesa

AlGo destacado

  •  
  • Subscrever por e-mail

    A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

    Queres falar comigo? Escreve.