Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Blog de AlGo

De mim, da vida... de tudo.

Blogmas - Dia 10: Receita de família

Não sei se se pode chamar uma receita de família, mas só a minha avó os fazia maravilhosamente e eu desenrasco-me bastante bem, por isso, já é da família.

 

Têm muitos nomes, eu sei, mas para mim são CASCUREIS.

PC240089.JPG

Dá muito trabalho... mas valem cada minuto de "amasso" e cada caloria que se ingere.

 

- 500g de farinha de trigo

- 3 ovos

- 1 cubinho de fermento de padeiro

- 3 colher de sopa de azeite

- 1 cálice de aguardente.

 

- água tépida q.b.

- uma pitada de sal

 

Dissolver o fermento num pouco de água tépida (põem um dedo na água, se não sentirem nem fria nem quente, é isso).

 

Num alguidar, ou na banca, como preferirem, dispor a farinha com uma pitada de sal, abrir um buraco no centro e ir juntando e amassando a agua ardente, o fermento dissolvido na água, as colheres de sopa de azeite e os ovos uma a um.

Amassar até que se descole das mãos, acrescentando mais água ou mais farinha, conforme o necessário. Fica tipo a massa do pão, ou da base das pizzas.

 

Depois de bem amassada, polvilha-se a bancada de farinha e dá-se-lhe uma grande tareia na bancada da cozinha. Eleva-se ao ar e atiro-se à banca com toda a força.

Porquê? Diz que deixa a massa mais leve.

 

Coloca-se num alguidar, polvilha-se com farinha e eu não fiz nenhuma cruz que não sou dada a superstições, mas se quiserem, esta é a hora. Tapa-se com um pano e um cobertor.

Para quê? Para levedar, tá claro, e ali esteve hora e meia.

 

Passado o tempo é hora de tender a massa, com as mãos. Pega-se um bocado de massa, e sem a pressionar, vai-se tendendo com os dedos até obter o feitio que se vê na foto.

Ou seja, nenhum em especial, tem é que ficar esticado.

 

Este é o processo mais complicado e que nem toda a gente consegue.

Não me estou a armar, é neste ponto que muita gente que tem tentado fazer, falha, e eles não ficam como os da minha avó.

Um segredo? Uma vez por outra, vão molhando a ponta dos dedos num pouco de óleo. Ajuda. 

 

Frita-se um a um em óleo abundante. Fritam muito rápido.

 

Polvilha-se com açúcar e canela (típico da época)... e come-se...

De mim, da vida... de tudo!

foto do autor

AlGo à Mesa

AlGo destacado

  •  
  • Subscrever por e-mail

    A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

    Queres falar comigo? Escreve.