Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Blog de AlGo

De mim, da vida... de tudo.

Se a ministra se demitisse...

... era cobarde, estava a lavar as mãos...

 Não se demitindo, está agarrada ao poder. 

 

Falo da ministra da Administração Interna.

 

Ainda bem que não se demitiu.

Que não seguiu o caminho mais fácil e que a libertaria dos momentos terríveis que viveu. Constança Urbano de Sousa e o secretário de Estado Jorge Gomes, foram de uma coragem, de uma humanidade, de um profissionalismo que pouco se vê na política.

Mesmo quando se renderam à dor, foram grandes.

 

Agora, é tempo de apurar responsabilidades e, a confirmarem-se falhas nos órgãos que tutelam, sim será tempo de demissões.

Porque responsabilidade não é culpa, e alguém tem que assumir as responsabilidades.

Eu e a solidariedade

Para mim:

- não funciona por telefone, com números de valor acrescentado. 

- não dá para ir a um concerto solidário, um concerto é festa, que é uma coisa que não me apetece fazer para recordar mais de 50 mortos e tantas outras perdas.

 

Sei que as necessidades básicas dos bombeiros e das populações afetadas estão a ser asseguradas, com mantimentos e bens de primeira necessidade. Quando a onda de solidariedade "amainar" farei a minha parte.

Não vou dar "restos" daquilo que me sobra (roupa, atoalhados...) porque acho que as pessoas que perderam tudo, merecem novo.

 

Só me resta uma solução, dar dinheiro, por este meio, por exemplo:

Capturar.PNG

Para que possa ser comprado tudo o que quem perdeu tudo precisa para recomeçar do zero.

 

E recomeçar é começar de novo.

 

Nada disto é uma crítica a quem opta pelas formas de ajudar que eu "não gosto". Ajuda é ajuda, tudo é válido. São somente opções.

Vergonha dos "jornaleiros" deste país

Eu faltei a muitas aulas durante o curso, ainda assim, tenho coisas a ensinar a muitos dos jornalistas em exercício.

 

- Não se faz reportagens ao lado de corpos sem vida.

- Não se pede declarações a quem acabou de perder pessoas.

- Não se atrapalha o trabalho de quem combate o fogo fazendo reportagens em zona de perigo.

- Não se incomoda o descanso dos bombeiros.

- Não se incentiva a revolta das populações reforçando que "não havia bombeiros, mais uma vez" quando se sabe que havia, estavam era noutros locais igualmente precisos.

 

Já agora, e esta é bónus, também não se notícia a queda de um avião só porque se ouviu dizer e depois se culpa as entidades oficiais da publicação da notícia porque não a desmentiram...

senhores, é ao contrário, verifica-se primeiro... esta é básica.

 

Nada disto se aprende nas aulas, chama-se "ser um humano".

 

A desculpa de que "todos fazem igual" não melhora nada, pelo contrário, acrescenta a miséria.

É sempre a mesma coisa

Desta vez, é diferente.

É pior do que tudo o que já aconteceu.

 

Fogos há muitos, o que nos faz parecer uma coisa normal, à qual damos pouca importância.

Todos os anos há pessoas a perderem tudo.

Nem sempre morre gente.

Nunca morreu tanta gente.

 

Quando se perdem vidas, as outras perdas tornam-se menores, mas quando é "com os outros" a tragédia também nos é mais leve. Não deveria ser, mas é a realidade do ser humano.

 

"Normalmente" morrem bombeiros "malucos" que tentam salvar carros e populares "teimosos" que não obedecem e tentam salvar casas e terras*... Desta vez a tragédia é-nos próxima porque podia ser qualquer um de nós, que não somos malucos nem teimosos.

Estas pessoas iam a fugir e foram apanhadas.

 

A ideia não é ofender ninguém nem diminuir o valor da vida de alguém. Eu mesma, em situação idêntica poderia tornar-me uma "maluca teimosa". Para quem está de fora, é fácil avaliar que foi errado ir salvar o carro ou a casa, mas isso é só para quem está de fora. Mas neste caso, todos nos conseguimos por no lugar das vítimas.

 

Eles iam a fugir e foram apanhados.

Imensa tragédia

Não tenho palavras para descrever o que me vai na alma.

Tristeza profunda parece-me pouco.

 

Sendo que eu não sou nada no meio disto tudo, a minha dor, que é alheia, pode somente imaginar o que dói áquelas gentes.

 

Desejo que quem combate tenha força, que quem sofre, encontre a paz.

 

É tão difícil, perdemos todos.

Perdemos tanto.

(atualização)

Há bom jornalismo...

... há mau jornalismo e há o correio da manhã, que não é jornalismo de todo.

 

Terá um ou outro bom profissional, que faz algumas coisas bem, mas o que sobressai naquele órgão é o mau, o péssimo e o pior.

 

Por questões de trabalho, às vezes sou forçada a ver a CMTV, o jornal não leio e não sigo as redes do grupo, mas é impossível viver à margem daquilo que se "vomita" nas suas publicações. Ontem o Facebook estava "inundado" de pessoas indignadas com algo publicado pelo CM, fui ver.

 

Não abri o vídeo, não é preciso para ver que algo está errado.

Diz assim:
"Rapariga filmada e abusada no Porto e ninguém fez nada".

O CM fez, digo eu.

Publicou as imagens.

Diz que estão desfocadas, mas, e daí?

Publicar uma violação é tão violento como exerce-la. Não tenho dúvidas disso.


O jornal fez um editorial, mal escrito na minha opinião, que termina com a frase:

- "A realidade não fica melhor, por ignorarmos os factos."

Pois não CM, não fica.

Mas fica melhor por a mostrarmos?

 

Quando a rapariga em causa vir as imagens ou ler os comentários grotescos que já vi pelas redes, a realidade dela vai ficar muito melhor?

Quando qualquer pessoa abusada vir as imagens ou ler os comentários grotescos que já vi pelas redes, a realidade das vítimas vai ficar muito melhor?

 

Quão melhor a sociedade fica por ver aquele vídeo?

 

O jornal não publicou aquilo porque é preciso noticiar, publicou para ganhar "cliques", visualisações, dinheiro... nada mais. 

Lamento, lamento muito que tanta gente se deixe cegar por este "jornalismo". 

 

Sei do poder que os media têm sobre a sociedade. É muito triste e assustador que a maioria da sociedade seja influenciada por este lixo. Até porque esta história do vídeo da violação é só uma pequena página desta história de porcaria.

Obrigada maioria dos franceses

Não tanto pela vitória do jeitoso Macron, mas muito, mesmo muito, pela derrota da tipa Le Pen.

 

Por me fazerem ter alguma esperança de que poderá haver um futuro e não vamos todos rebentar em breve à conta do triângulo "perfeito": Trump/Putin/Le Pen... Ufa!!

É preciso ter tolerância

Para eu ser tolerante, preciso que me expliquem, como se eu fosse uma cidadã de um estado laico, porque raio de coisa (suponho que pública), os funcionários do Estado vão ter tolerância de ponto por causa da visita do Papa a Fátima. 

Alguém me diz a razão, por favor?

O que é a culpa?

"Falta voluntária contra o dever; omissão; desleixo." 

"culpa", in Dicionário Priberam da Língua Portuguesa

 

Não é difícil concordar que um cão não pode ser culpado de nada, certo?

 

Para quando uma legislação para donos perigosos?

Ou há alguma dúvida de que, todos os ataques de cães que vão sendo conhecidos, são consequência de falta, omissão e desleixo de um humano irresponsável?

 

 

 

De mim, da vida... de tudo!

foto do autor

AlGo à Mesa

AlGo destacado

  •  
  • Subscrever por e-mail

    A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

    Queres falar comigo? Escreve.